MPIAUÍ

Coluna - Politica

Por: TÔ LIGADO

"RACHA" na base aliada é o sonho da Oposição

Postado em 01/06/2012

Neste espaço, mais uma vez e de forma democrática, volto a falar sobre a sucessão municipal para 2012 em Água Branca, ratificando os termos desse artigo.

Faltando pouco mais de três meses para o início do prazo final das convenções partidárias 10 a 30 de junho 2012 (lei 9.504/97), os partidos políticos e seus integrantes,  em todo território nacional já se mobilizam para chegarem às convenções  que vão de 10 a 30 junho do ano fluente, com chapas definidas, tanto majoritária (prefeito e vice) quanto para proporcional (vereadores).

Como as regras foram praticamente mantidas, com exceção da ficha limpa, ratificada pelo  pleno do STF (Supremo Tribunal Federal) os partidos procuram, agora, definirem seus futuros candidatos e mostrá-los à população. Leia-se, o eleitor.

Embora contando com cinco bons nomes para a sucessão do prefeito Zito, a base aliada tem se movimentado muito, cada um com sua própria desenvoltura, peculiar a cada um.

 

Vereador Antonio Romano Pereira Filho, o Tonheiro 

Tonheiro, tem se articulado muito, como sempre e conversado mais ainda com o vice, Cipriano, pois além de políticos e pretensos candidatos ao cargo de prefeito, são amigos de longas datas.

 

Vice-prefeito Cipriano Faustino 

Já o vice, Cipriano, agora com o PSD totalmente organizado em todo o território nacional, há muito botou o “bloco” na rua.
Para alguns mais entendidos que nós no assunto, Cipriano tem tido considerável apoio em sua pretensão de ser o candidato do grupo; Para outros, pessoas “próximas” do Vice estariam de certa forma, até dificultando sua viabilidade. É o velho ditado popular: se não puder ajudar, favor, não atrapalhar. Mas Cipriano, como sempre, saberá superar tais dificuldades e já está tomando providências.

 

Bibiu e Cleidimar Tavares Secretária Municipal de Educação 

Cleidimar Tavares, diferente do que comentamos há tempos atrás, já colocou o bloco na rua, tem tido grande desenvoltura à frente da SEMEC. Deverá deixar o cargo dentro do prazo de lei (desincompatibilização) e assumir a “porta-bandeira” da candidatura. Tem procurado ser mais discreta. Antes não tinha a simpatia do marido Bibiu, mas agora ele é cabo eleitoral de carteirinha e, de forma comedida, tem ajudado a difundir a idéia de que, Cleidimar no Executivo, como Prefeita, fará mais ainda do que já vem fazendo pela educação municipal.

 

Valmir Sales Secretário Municipal de Esportes 

Valmir Sales é pior que fogo em monturo, quando menos se espera, aparece, pois vem procurando, de forma discreta, mas com muita sabedoria, atender aos pleitos da população, especialmente onde tem mais influência e onde já desenvolve um trabalho social de grande relevância.

 

Jonas Moura Araújo, gerente do Itaú em São Luis do Maranhão 

Jonas Moura, de todos, e isso é uma opinião própria, pode ser candidato sem muitos compromissos com as benesses do poder, pois não exerce cargo eletivo, não tem ainda o chamado grupo político; no que, se for o escolhido, pode levar uma nova mensagem à população de não ser político de carreira, mas um técnico, um burocrata. Resta saber se a população e os políticos vão entender esse discurso e equacioná-lo ao arcaico discurso do toma lá, da cá, tão comum na política brasileira.

Quanto à oposição, que está se mexendo e aguardando como cobra caçando rato no escuro, que haja um “racha” no grupo político liderado pelo prefeito Zito para tentar capitanear alguém que se arriscasse a tomar tal decisão.

Embora hoje sendo tempo e política diferente, mas é bom lembrar, que nos tempos de Joel Carlos, houve o rompimento do grupo de Dico Abel, Gutenberg (saudoso) Joel Carlos e outros. Mesmo assim, Callado Neto manteve o ritmo e o grupo coeso, foi para a convenção rachado, mas o povo entendeu que Zito era o melhor e o elegeu.

Na sucessão de 1992, foram vários nomes colocados na rua para futura indicação do substituto de Zito (primeiro mandato). Ao final, nem um dos nomes fora contemplado, sendo chamado para a missão, o professor João Evaristo Lopes,, que foi surpresa para muitos, mas certeza para outros, sua indicação. Nas urnas foi um verdadeiro passeio no adversário daquela época (Dr. Callado Neto). Tudo, graças a grande administração que fizera o prefeito Zito, que hoje, já fez mais do que suas duas anteriores.

Convenção é como casamento: preparam-se os noivos, convidam-se os padrinhos, os demais convidados, registra-se em cartório ou na Igreja e o rela bucho vai até o outro dia clarear; As convenções, são mera formalidades  exigidas na legislação específica.

Volto a reafirmar, sem medo de errar: a sucessão de Água Branca passará, de novo, pela popularidade do prefeito Zito, pois foram assim em 92, 96, 2000, 2004 e 2008.

 

Compartilhar

ComentÁRIOs